Quinta do Vallado - A beleza das vinhas e vinhos portugueses


"A Quinta do Vallado, construída em 1716, é uma das Quintas mais antigas e famosas do Vale do Douro" *

De longe, ainda na estrada sinuosa do Vale do Douro, é possível saber onde a Vallado está porque o seu tom alaranjado chama atenção no meio do verde das vinhas e oliveiras. O meu lado artista plástica sempre gostou dessa combinação de cores. Como eu adoro a cor laranja e, principalmente, vinho, tivemos uma identificação quase instantânea. Está localizada em Peso da Régua, situada às margens do Rio Corgo, um dos rios afluentes do Douro.

O local é muito bonito, arquitetura moderna e uma parede de garrafas que chega a embaralhar a vista. O enoturismo é semelhante aos outros com o tour pela vinícola, explicações, tour na adega e uma excelente equipe de profissionais.


Como foi mencionado acima, a Quinta é de 1716. Por ser uma das mais antigas e tradicionais, tem muita história interessante que é contada junto com o tour. Eles disseram que a famosa e lendária Dona Antonia Adelaide Ferreira, mais conhecida como Ferreirinha, foi a proprietária desta Quinta e que a posse passou de geração em geração e hoje pertence aos seus descendentes.

A principal atividade da Vallado era a produção de vinho do Porto por quase duzentos anos e comercializado pela Casa Ferreira (mesmo sobrenome de Dona Antonia), sendo assim, uma empresa completamente familiar. Depois de Ferreirinha, quem assumiu a responsabilidade pelo crescimento e desenvolvimento da Quinta foram seu bisneto e trisneto. 

 
Em 1993, a Vallado amplia suas atividades incluindo engarrafamento e comercialização, além da produção de vinhos, com marca própria. As vinhas passaram por uma reestruturação com ênfase em castas de excelente qualidade e o uso de tecnologia para um melhor desenvolvimento na viticultura.  

Hoje, ao todo, são 50 hectares de vinha, sendo que 20 têm um pouco mais de 80 anos de idade e quem toma conta da Vallado são os tetranetos de Ferreirinha. A cave de barricas e a nova adega foram construídas em 2008, e, a arquitetura moderna enfurnada no meio das vinhas, mostra que a Quinta e a tecnologia andam juntas para melhor evoluir e atender a demanda do consumidor final. 


Sobre as vinhas:

"Os 70 hectares de vinha da Quinta do Vallado assentam na sua maioria em encostas de xistoso, viradas a sul e a poente, o que permite uma ótima maturação das uvas, tirando partido do clima mediterrânico. Dois terços das vinhas são constituídas por vinha nova, disposta em patamares de um bardo, com cordão duplo. As castas predominantes são: 
  • Tintos: touriga nacional, tinta roriz, touriga franca, tinta amarela, barroca e sousão.
  • Brancos: rabigato, viosinho, moscatel, verdelho (gouveio) e arinto.
A vinha velha é composta por mais de 40 castas, predominantemente: touriga franca, tinta amarela, barroca e tinta roriz. Em 2009 a Quinta do Vallado decidiu alargar a sua área de vinhas próprias, tendo escolhido o Douro Superior para o fazer. Foi adquirida a Quinta do Orgal, em Castelo Melhor - Vila Nova de Foz Côa, onde até hoje se plantaram mais de 30 ha de vinha biológica." *¹
 


Sobre Ferreirinha:
 
"Falar do Vinho do Porto e do Douro sem falar de D. Antónia é quase impossível. Personagem da vida do Douro e do Vinho do Porto, conhecida por "Ferreirinha", nasceu na Régua em 1811. Mulher determinada e corajosa, construiu um enorme império durante o século XIX. Era uma pessoa que gostava de ajudar os mais pobres, que teve a coragem de desafiar homens poderosos e serviu de exemplo e orgulho das gentes Durienses.

A história dos Ferreiras começa com Bernardo Ferreira, proprietário no Douro, que sob pena de prisão foi obrigado pelo Marquês de Pombal a cultivar umas terras denominadas de Montes de Rodo, convertendo-as em bonitas quintas. Com este tipo de medidas, não muito corretas, o Marquês de Pombal conseguiu que muitos proprietários aumentassem os seus bens agrícolas. Foi morto pelas tropas de Napoleão, pois estas confundiram-no com um desertor, quando lhes dirigiu a palavra num impecável francês. 
(...)
Após a morte do seu primeiro marido, a coragem desta senhora não pára: fez grandes plantações de vinha no Douro, obras de benfeitoria, contratou colaboradores, construiu armazéns, comprou quintas importantes (Aciprestes, Porto, Mileu) e fundou outras, como o Monte Meão, tornando-se figura de primeira grandeza. 
(...)
O ano de 1868 foi um ano excelente, as qualidades de vinho eram enormes e os viticultores não conseguiam vender o seu vinho. D. Antónia compra enormes quantidades de vinho para ajudar os agricultores na luta contra os baixos preços praticados pela abundância de vinho. Dois anos mais tarde surge a praga do oídio que destrói quase a totalidade dos vinhedos, atirando os Durienses para a miséria. Mulher com uma capacidade enorme de negociar, pôde com alguma facilidade negociar com os ingleses todo o seu vinho que permanecia nos armazéns, contribuindo, assim, para um enriquecimento da casa Ferreira. 
(...)
Em 1880 continuou com as obras de benfeitoria: os hospitais de Vila Real, Régua, Moncorvo e Lamego. D. Antónia é sem dúvida uma das maiores, se não a maior, personagem na história da região do Douro e do Vinho do Porto. Faleceu em 1896, aos 85 anos, na Casa das Nogueiras (Quinta das Nogueiras). O Douro perdera a sua Rainha. Atualmente a A. A. Ferreira, considerada uma das mais importantes casas de Vinho do Porto, já não faz parte da Família, tendo sido vendida em 1987 ao grupo Sogrape. Continua, contudo, a entregar anualmente o "Prémio Dona Antónia", destinado a distinguir as mulheres que mais se evidenciaram no mundo empresarial português." *²
 
 
A Quinta do Vallado possui restaurante e fizemos um jantar harmonizado delicioso. Infelizmente, depois de um dia inteiro tirando fotos, as baterias da câmera e celular se esgotaram e não registrei o menu desse jantar (...acontece). Já aviso de antemão que é preciso fazer reserva com mais de uma semana de antecedência e para, no mínimo, 6 pessoas. Os vinhos são bons, o serviço excelente e a comida espetacular!!

A duração do enoturismo é de 90 minutos. Em inglês os horários são às 11:00 e 14:45 h, e em português, às 12:00 e 15:45 h. A visitação na Vallado deve ser reservada previamente por e-mail (enoturismo@quintadovallado.com) ou telefone (+351 254 318 081). Também respondem as mensagens através da página do Facebook ou do próprio website.

🍷 Salute! 🍷
 
*¹Fonte: Quinta do Vallado site
*²Autor: Abílio Forrester Zamith
*³ Ultima imagem retirada do Google

Comentários

As mais lidas: